domingo, 20 de dezembro de 2009

RESUMO; INCLUSÃO ATRAVÉS DOS TEMPOS

Após a leitura do texto “Inclusão através dos tempos” de Grassi o qual sinaliza cronologicamente os olhares concernentes a Educação Inclusiva, penso que o panorama apresentado cronologicamente na antiguidade pode ser caracterizada pela desagregação da comunidade primitiva que deu origem a várias sociedades divididas em classe, tendo o Estado sido criado como instituição legitimadora do poder e dos interesses do grupo dominante que gradativamente passa a se apropriar dos meios de produção e conseqüentemente dos seus excedentes.

Com o Estado constituindo a ideologia dominante passa a legitimar certas práticas sociais de discriminação e exclusão, de alguns indivíduos na sociedade (deficientes, negros, escravos, homossexuais, etc.).

O ideal de corpo predominantemente dos espartanos era aquele que favorecesse a formação do bom guerreiro e tudo o que fosse contrário a esse ideal era eliminado.

Na Idade Média A dicotomia que se estabelecia nesse período era corpo/alma. A alma é a parte digna, superior, e o corpo se reduzem ao templo a alma. As deformidades físicas e as deficiências eram atribuídas e poderes sobrenaturais e demoníacos de bruxas e duendes e os indivíduos nessa condição eram vistos como possuidores de poderes diabólicos (Carmo, 1991).

A Revolução Francesa toma-se vitoriosa e a burguesia acende ao poder como classe dominante. Produz e reproduz um discurso de aparente igualdade entre os indivíduos, mas responsabiliza cada sujeito individualmente por seus sucessos e fracassos.

Diante do exposto e com objetivo de traçar um paralelo entre a cronologia estabelecida no texto em tela, podemos observar que a história da inclusão vem sendo tratada e repensada há vários anos, buscando uma visão igualitária entre pessoas com necessidades especiais e os demais cidadãos. Mas não se busca unicamente que a pessoa com deficiência seja vista com os mesmos direitos, continuando a ser considerada inferior; o que se quer é que essas pessoas sejam consideradas como seres humanos enquanto tais, na plenitude de sua essência, que vivem e desfrutam do mesmo planeta que os demais seres humanos.

Bibliografia
GRASSI, D; A inclusão através dos tempos: da visão histórica à contemporaneidade. Disponível em http://www.teleduc.cefetmt.br. Acesso em 10/12/2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário